Deixe o sol nascer!

Família em casa, toda reunida, aquele almoço gostoso, clima festivo, conversa em dia, risadas, todo o ambiente propício para celebrar. Crianças correndo e brincando, adultos conversando, homens de um lado, gargalhando alto, mulheres conversando baixinho…. enfim. Esse foi mais um dia em família.

No dia seguinte, rotina volta ao normal. Parece que a semana já começa pesada, sem ânimo para trabalhar, mal chegou no ambiente de trabalho, e logo no caminho, os problemas já vêm à mente. A cabeça se ocupa e tudo o mais…

Já está esgotada!

Mas a criança? Ah… A criança encara o mundo como algo novo e espontâneo. Interessante como para a criança o mundo é algo extraordinário, a vida é algo incrível. Já para os adultos, a vida é algo enfadonha, sempre mais do mesmo, se repetindo semana após semana.

E por que é assim? Caramba… se você souber a resposta, me fale agora. Eu tenho uma vaga ideia: o adulto deixa de ser criança, e vive em busca de responder as expectativas e responsabilidades. Por conta disso, esquece (não de ser criança) a novidade da vida. Fica tão atolado de compromissos que não tem mais tempo de contemplar a vida, apreciar as pequenas coisas, de imaginar, de sonhar, de perguntar, de ter curiosidade.

Parece que a vida passa a se resumir em trabalho, e trabalho, e trabalho.

Nos finais de semana, algo diferente de trabalho. E já na segunda, trabalho de novo. Meu Deus!!!!!

O fato aqui não é trabalho ou qualquer outra responsabilidade de uma vida em sociedade (o que é normal isso), mas o fato que com a idade avançando os sonhos vão diminuindo, as expectativas vão abrochando, a curiosidade da vida se esvaziando. E a vida fica triste, monótona, fria, cinzenta. A primavera infantil dá lugar a um outono camuflado de maturidade.

Ora, desde quando maturidade significa deixar de ter aquela curiosidade, aquele sonho, aquele encanto pela vida?

Conheço crianças que já são velhas, mas conheço idosos que são jovens. Não se trata de idade, mas de vitalidade. Vital!!!! Vida!!!! Ânimo!!! Desejo!!! Desejar a vida acima de tudo. Desejar-se! Encantar-se pelo mundo que está só esperando ser descoberto! E o novo, pode muitas vezes (e diria que na maioria delas) estar escondido dentro das velhas coisas, que são vistas ou vividas do mesmo modo.

O novo pode revelar-se à medida que seu olhar também muda! A vista de tudo depende qual montanha se escala!

Viva a vida. Permita que o sol venha a nascer no seu dia e na sua vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s